Marketing de Conteúdo: 6 dicas para a criação de conteúdo relevante

marketing de conteúdo

Marketing de Conteúdo: 6 dicas para a criação de conteúdo relevante

O marketing de conteúdo é um caminho que está sendo cada vez mais adotado para atrair clientes e consiste, basicamente, em uma estratégia de longo prazo que visa criar conteúdo relevante e valioso para se conectar ao seu/sua consumidor/a potencial (e já clientes), ajudando-o/a a conquistar os seus objetivos e a solucionarem problemas. A intenção é que a sua empresa se torne uma referência para a sua buyer persona e que ela reconheça o seu negócio como autoridade e solução lógica para problemas relacionados a ele. Sendo assim, o fato é que, em meio a tantos conteúdos produzidos e publicados todo o minuto, conteúdos rasos – no estilo “compre batom” – acabam se tornando apenas mais um em meio a um turbilhão de informação. Para que a sua estratégia de marketing de conteúdo funcione e traga os resultados esperados, é necessário que você crie conteúdos realmente valiosos, que façam com que, naturalmente, você se torne uma autoridade no assunto: uma fonte segura de informação personalizada e autoral não soa como alguém que pode resolver os seus problemas?

 

Como você deve imaginar, é um trabalho demorado, difícil e delicado, mas que pode ser facilitado se você tiver um processo e as ferramentas certas. A gente aqui na Xodó passa por um processo de 6 etapas que vamos elencar juntamente com algumas dicas para quem está começando a escrever este tipo de conteúdo.

 

1 – Defina temas relevantes

 

Antes de começar a escrever, você precisa saber sobre o que vai falar. Então, antes de escolher o conteúdo da vez, defina vários possíveis temas de interesse da sua audiência, escreva-os em uma lista e monte uma ordem para que estes textos sejam publicados ou enviados. 

 

Se não tiver ideias de temas, tente se colocar no lugar do cliente ou fazer uma pesquisa simples. No caso de uma imobiliária, por exemplo, você pode pesquisar “principais dúvidas dos inquilinos de kitnets” ou pensar “se eu precisasse comprar um apartamento, sobre o que eu gostaria de me informar antes de escolher uma imobiliária?”.

 

Além disso, ferramentas como o a Máquina de Títulos e o Blog Ideas Generator podem ajudar você a encontrar ideias de tópicos e títulos.

 

Depois de definir alguns temas e escolher o texto da vez, passemos a outro passo.

 

*DICA: é interessante estabelecer, já nessa etapa, uma lista de palavras-chave que irão ajudar você lá no passo 6.

 

 

2 – Pesquise, pesquise, pesquise

 

Você precisa saber absolutamente tudo sobre o que vai escrever. Não importa se você escolheu falar sobre “como criar papagaios dentro de um apartamento”, você precisa saber absolutamente tudo sobre o tema! Pesquise sobre a legislação da criação de papagaios, o que ele come, quais são suas necessidades fisiológicas, quantos anos vive, quais as regras de condomínio mais comuns sobre a criação de animais em apartamentos…

 

Tudo bem se esta for uma das partes mais demoradas da criação do seu texto, é assim mesmo, principalmente se o assunto for algo que você não domina (mas se você tiver um papagaio talvez facilite o processo). Não tente agilizar esta etapa, porque ela é de extrema importância para que o seu conteúdo não seja RASO. Você não vai se diferenciar se falar tudo o que todo mundo já disse ou criar aquele texto que as pessoas terminam de ler e pensam “tá, isso tudo eu já sabia”.

 

Pense em todas as possibilidades e tudo o que você pode abordar dentro do tema que escolheu e leia diferentes conteúdos. Escolha as informações de cada um que chamaram a sua atenção e copie o texto para uma grande “folha de rascunho”, cole tudo ali para não esquecer de nada e, óbvio, faça também suas observações pessoais.

Se você for do tipo desorganizado/a, pode jogar tudo de qualquer jeito ali se quiser, mas aqui gente prefere já ir separando por tópicos porque isso ajuda na próxima etapa.  

 

3 – Organize a Informação

 

Faça tópicos como “regras sobre a criação de papagaios”, “o que um papagaio precisa para viver” e “quais os possíveis inconvenientes” e escreva todas as informações que você pesquisou sobre os assuntos ali, bem soltas mesmo, em palavras-chave ou como preferir. Depois pense sobre qual é a melhor forma de distribuir o conteúdo, ordene os tópicos e só depois comece a escrever de fato.

 

4 – Desconstrua e reorganize – AGORA SIM!

 

Essa é a parte onde você começa a escrever de fato!

Façamos aqui uma breve pausa para perceber quanta coisa já aconteceu antes desse momento chegar. É por isso que se você disser “ok, tenho que fazer um texto para o meu blog, vou abrir aqui o documento e escrever…” tem grandes chances de você “empacar” e ficar olhando para aquele cursor piscando sem saber nem por onde começar.

 

Depois de tudo organizado, pegue o conteúdo solto e… bem… forme frases que façam sentido! Essa parte é com você: dê o tom do seu cliente, use a linguagem adequada, selecione quais informações são realmente relevantes para o público (encher linguiça é feio, inútil e as pessoas percebem que você está fazendo isso, então seja sucinto/a) e escreva tudo o que aprendeu sobre a criação de papagaios em apartamento.

 

Façamos outra breve pausa aqui porque tem coisas que a gente acha que não precisa nem dizer, mas não custa reforçar: plágio é crime! Leia mais sobre isso aqui. E não, não é isso que estamos dizendo a você para fazer!

 

“Estamos falando de prática, não de plágio – plágio é tentar fazer o trabalho de outro passar por seu. Copiar é engenharia reversa. É como um mecânico removendo partes de um carro para ver como ele funciona” já disse Austin Kleon em “Roube como um artista” – inclusive fica a sugestão de leitura!

 

Então não, não é só pegar as frases e trocá-las de lugar ou reescrever trocando algumas palavras por seus sinônimos. Muito cuidado e bom-senso se este impulso aparecer! Fica aqui mais uma citação:

“Poetas imaturos imitam; poetas maduros roubam; poetas ruins desfiguram o que pegam e poetas bons transformam em algo melhor, ou pelo menos diferente. O bom poeta amalgama o seu furto a um conjunto sensível que é único, completamente diferente daquele de onde foi removido.”− T. S. Eliot

— 

 

5 – Dê uma pausa antes de finalizar

 

Depois de pegar toda a informação, destruir e reconstruí-la no formato do seu texto, pare! Não adianta ficar mastigando aquilo tudo de novo por horas. Dê um break, se possível volte ao texto só nas próximas horas – ou até mesmo no dia seguinte – para encerrá-lo. Você só vai ver que deixou passar algum errinho ou que pode melhorar algumas partes se estiver com a mente fresca. Se tiver alguém para revisá-lo para você, melhor ainda! 

 

Também não perca tempo demais. Se você analisar 25 vezes, vai encontrar 25 coisas que poderiam ser feitas de formas diferentes. Encontre um balanço entre um ótimo texto e um tempo de produção saudável.

 

6 – Otimize seu texto

 

SEO, baby! Você talvez já tenha ouvido falar, talvez já saiba tudo sobre isso, mas caso não saiba, SEO é a sigla para Search Engine Optimization (otimização para mecanismos de busca). É um conjunto de técnicas que vão fazer com que o seu conteúdo seja encontrado mais facilmente por quem estiver pesquisando por aquelas soluções. Um bom ranqueamento orgânico gera tráfego e, gradativamente, autoridade.

Existem vários plugins e ferramentas que podem ser utilizados para ajudar você a otimizar o seu texto. Uma pesquisa rápida no Google pode ajudar você a descobrir o método ideal para o formato ou plataforma onde você divulgará o texto.

Nós, aqui, usamos o Yoast SEO, uma opção simples e acessível para quem utiliza o WordPress.

 

EXTRA:

 

  • Leia muito sobre tudo: uma pessoa com referências e cultura tende a se sair melhor no mundo do marketing de conteúdo.
  • Interesse-se pelos assuntos do/a seu/sua cliente: se você estiver por dentro do mundo dela/e, os textos vão fluir mais naturalmente.
  • Não deixe para a última hora e não force a barra: tem horas que não dá mesmo, busque alguns exercícios de concentração ou faça alguma outra coisa e depois volte à missão.

 

Sim, este “texto sobre escrever textos” foi um assunto elencado em uma lista de temas possíveis, houve uma pesquisa prévia, outros textos para embasamento, desconstrução, reconstrução, uma pausa, foi revisado e otimizado. 

 

Se você gostou de conhecer nosso “texto sobre escrever textos”, talvez curta também o material que fala sobre o nosso método de criação de identidade visual, clique aqui pra ler!